04/03/2009

Me emocionando com Elis Regina

Todas as vezes que ouço Elis Regina eu me emociono, cada frase tem um significado novo em cada momento da minha vida. Ontem durante uma faxina imensa pós-carnaval em minha casa eu ouvia “ Como nossos Pais” (letra de Belchior) e pensava ( em verde, rs) e me emocionava com as mãos ocupadas pela vassoura e pelo pano de chão.

Não quero lhe falar meu grande amor
Das coisas que aprendi nos discos

(Tantas vezes eu tento me fazer compreender, com palavras, com músicas, mas hoje eu não quero falar dos meus conhecimentos)

Quero lhe contar como eu vivi e tudo o que aconteceu comigo

(Eu quero falar de mim, da minha história, quero ser aceita e amada pelo que eu sou e não pelo que adquiri ao longo da vida)

Viver é melhor que sonhar

(Cansei de planejar e sonhar demais, estou vivendo cada momento como se não houvesse o amanhã)

Eu sei que o amor é uma coisa boa
Mas também sei que qualquer canto
É menor do que a vida de qualquer pessoa

(Nada é maior do que o amor, mas quando não se tem esse fica-se com as canções, com os livros...com a nostalgia, mesmo estando com um pano de chão nas mãos.)
Por isso cuidado meu bem, há perigo na esquina

(Sempre há perigo, quando se fala de amor e de aventura, o risco é eminente, eu sinto o cheiro do perigo!)

Eles venceram e o sinal está fechado pra nós que somos jovens
Para abraçar seu irmão e beijar sua menina na rua
É que se fez o seu lábio, o seu braço e a minha voz

(Sei que minhas atitudes podem ser julgadas, mas meus braços foram feitos para acolher quem eu assim desejar e no momento em que eu tiver vontade, sei que os julgamentos virão, as condenações, mas eu estou vivendo, muito mais do que sonhando)

Você me pergunta pela minha paixão
Digo que estou encantado com uma nova invenção

( Paixão, que Paixão, o que eu sinto é muito mais novo e inusitado do que isso)

Vou ficar nesta cidade, não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
O cheiro de uma nova estação

( Tudo se renova, e o sabor da minha vida é outro hoje, eu não choro mais com as folhas secas do outono que passou)

Eu sei de tudo na ferida viva do meu coração

(Tudo que sofri eu sei, sim eu sei de tudo)
Já faz tempo eu vi você na rua
Cabelo ao vento, gente nova reunida
Na parede da memória, esta lembrança é o quadro que dói mais

( A nostalgia é sempre dolorosa)

Minha dor é perceber, que apesar de termos feito tudo tudo que fizemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Como nossos pais

(É duro perceber o quanto eu ainda me importo e valorizo o que era pra ser antigo, o que era pra ser antiquado, mas meu coração vive como todos os corações, ele não acompanha a razão dos meus passos.)
Nossos ídolos ainda são os mesmos
E as aparências não enganam não
Você diz que depois deles não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer que eu estou por fora, ou então que eu estou inventando
Mas é você que ama o passado e que não vê
É você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem

(Quem não ama o passado?Quem não guarda as fotos passadas, as cartas recebidas, se apega aos antigos modelos, as experiências já vividas e não abre o espaço para o inusitado? Muitas vezes eu me pego dizendo: Sei como é isso, Eu já aprendi, è a mesma história e me fecho para o novo)

Hoje eu sei que quem me deu a idéia de uma nova consciência e juventude
Está lá em casa, guardado por Deus, contando o vil metal
Minha dor é perceber, que apesar de termos feito tudo tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Como nossos pais


Eu continuo me emocionando com Elis, assim como minha madrinha, como minha tia e assim como nossos pais!

Um comentário:

  1. Esse eu não posso opinar... Não conheço muito ela :(

    Beijocas

    ResponderExcluir

 
© 2011 | Template por Silvia