25/08/2009

Imaginando a vida alheia

Estava eu voltando do trabalho, chuvinha e aquele engarrafamento no viaduto de madureira.
Quem conhece, já viu aquelas casas que ficam coladas ao viaduto, na verdade embaixo, na verdade são quase prédios de três andares.
Em uma janela em frente tinha um cabideiro de balas daqueles que os vendedores usam nos ônibus, comecei a viajar e analisar a casa, lá dentr
o tinha uma mulher catando piolho em uma criança....... Caracoles quantos anos eu não vejo uma cena dessa...
Aí comecei a viajar nas caraminhongas... que criança era aquela? Quem naquela casa venderia doces?Como eles foram morar ali... me diverti com minh
a imaginação... resolvi olhar o vizinho... um cara de cueca na sala vendo TV.... eu pensei "esse tem cara de vagabundo", daqueles que só mudam a posição da bunda no sofá para não gangrenar... imaginei qua a mulher que vendia balas, na verdade tiha largado ele por que ele não gostava de trabalhar, e como ela trabalhava muito só podia catar os piolhos da filha à noite..
Aí viajei , viajei... e quando me dei conta, quase perdi o ponto!
Eu juro não tomei chá de cogumelos, muito menos de trombeta!

Um comentário:

  1. I eu dou umas viajadas dessa as vezes ou melhor constantemente... me ajuda a passar o tempo e o tedio da viagem, afinal não tenho nem MP1 quanto mais 3, 4 e etc...

    Filmes que fazemos nas nossas cabeças sem roteiro, quem sabe um dia ganhamos um Oscar !

    ResponderExcluir

 
© 2011 | Template por Silvia