13/12/2010

O Eremita


A gente vai mudando e às vezes só percebe quando muita coisa tá diferente.

Me estranha dizer isso, mas eu estou na fase de introversão, eu digo que é estranho, porque eu sou a pessoa que mais ama a coletividade que eu conheço. Eu sempre adorei muvucas, casa cheia, lugares badalados, como boa leonina muita gente ao meu redor e atualmente eu ando querendo ficar quieta, lugares mais vazios, ambientes onde se possa conversar, sem muita gritaria e isso foi acontecendo assim, rejeitando uma balada hoje, outra amanhã, me curtindo legal mesmo sábado à noite com apenas a companhia do meu DVD, do meu micro e de um livro.

Muita gente vai dizer... vc está ficando velha, não considero que seja isso, acho que na verdade eu estou mais uma vez mudando o meu foco e se realmente isso for sinal de estar ficando velha, posso dizer que está acontecendo assim de forma maravilhosa.

Porque nada disso está rolando por falta de opção de saídas ou de companhia, está rolando porque eu tenho desejado que seja assim, estou me sentindo bem e feliz!! Eu desejo estar só muitas vezes, gosto do que encontro em mim, aprecio as idéias que me vem, analiso os meus conflitos e sigo alegremente

Estou lendo o livro Jung e o Tarô e nesse livro a autora compara os Arcanos com arquétipos e eu me identifiquei muito, nesse momento da minha vida com um personagem das cartas:
Significados simbólicos
O Iniciado, o buscador incansável. Sabedoria, iluminação, estudo, autoconhecimento, meditação, recolhimento, saber desligar-se. Reavaliação da vida e dos objetivos. Concentração, silêncio. Profundidade.Prudência. Reserva. Limites. Influência saturnina.

Em Jung e o Tarô, Sallie Nichols diz o seguinte:

"Como o louco (um outro Arcano) é um andante; Mas o passo do eremita, velho viajante é mais comedido que o do jovem louco, ele não olha por cima do ombro, aparentemente já não precisa pensar no que fica para trás; assimilou as experiências do passado; Parece contente com o presente imediato. É um solitário que atingiu um grau de compreensão

...A arte da individuação, de nos tornarmos um único eu é uma experiência intensamente pessoal e por vezes uma experiência solitária. Para descobrir quem somos, precisamos, recolher as partes nós mesmos que projetamos, sem perceber,nos outros, aprendendo a encontrar, bem no fundo de nossas psiques os potenciais e deficiências que anteriormente só víamos nos outros. Tal reconhecimento será facilitado se pudermos retirarnos da sociedade por breves períodos e aprender a receber com agrado a solidão."

Assim como a autora relata no livro, a identificação dos arquétipos ao nosso redor seria algo comum... e percebo que no momento atual é essa figura que tem permeado o meu caminhar e fico feliz em ver o quanto tenho deixado as portas abertas para a sua entrada!!

7 comentários:

  1. Olá Lilia
    Estando ficando velha ou não, o importante é estar bem consigo mesma. Crescemos à medida que nos conhecemos, esse conhecimento pode se dar na multidão ou de forma solitária, cada um escolhe o seu caminho.
    Curta bem essa fase, tenha prazer em conhecê-la, e seja feliz.
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. menina querida passei pra desejar-te boas festas e muitas andanças rs beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Lílian
    Que bom que gostou do post, fiz com carinho.
    Ah! Enviei pro seu e-mail os gifs assim como me pediu.
    Um abraço e boa noite

    ResponderExcluir
  4. Queridíssima...


    Estou passando nos blogues participantes do amigo secreto para avisar que postei um vídeo e se encontram quase todos, e vc ficou super bem no vídeo, passe lá depois para ver...

    Beijão!!

    ResponderExcluir
  5. o0...nossa Lilia, me reconheci no seu post.
    tb ando querendo analizar meus pensamentos no momento. Tb to querndo me conhecer e assimilar aquilo que ja vivi.

    Esses dia me deu a loka e fui escrever um poema. Vo escrever aqui para seu conhecimento. Se for seu desejo pode excluir dos comentários. Quero apenas divir uma experiência com você



    Só, sob o céu de Dezembro.
    Sinto-me só neste momento.
    Dentre dezenas de amigos.
    Dentre centenas de conhecidos.
    Dentre milhões de cidadãos.
    Neste momento, sinto-me só

    Sabe, sentado no quintal
    A fumaça do cigarro sobe.
    O céu parece-me, neste momento
    O espelho, a imagem mais pura
    O que se aproxima mais de minha alma.
    Parado, anuviado e com pouca luz.

    A solidão não é de todo má.
    Permite a Mim pensar em Mim.
    Permite-me por de lado as opniões alheias.
    Permite-me a mais pura supremacia de pensamentos.
    Conquista-me com seu silêncio.
    Seduz-me com a liberdade.

    A mesma jurou a mim confidência.
    Jurou-me disponibilidade.
    Jurou ser minha amante.
    E eu procuro-a
    Permito-me envolver por ela.
    E adentro os confins de mim mesmo.

    Sinto que, nela, tenho o que procuro.
    Sinto que, nela, Quero.
    Sinto que, nela, Posso.
    Somente na solidão.
    Longe de olhares e opniões.
    Permito-me ser eu, e sonhar.

    Quero ir longe.
    Quero arriscar.
    Perder, ganhar.
    Tanto faz empatar.
    Mas tenho que apostar.
    Todas as fichas num sonho.

    Ou todos os sonhos em uma ficha.

    Lucas Tansini 08/12/10

    ResponderExcluir

 
© 2011 | Template por Silvia