24/06/2011

Caridade x Medo


Hoje em dia as coisas estão tão complicadas que não sabemos o que fazer com o nosso senso de caridade.

Eis que eu estava no ponto do ônibus e um cara estava encostado na parede, de repente ele começa a se curvar e chamou uma moça que estava no ponto e pediu ajuda, a moça se afastou, ele foi descendo o corpo até que se sentou no chão. Parecia bêbado, mas poderia apenas estar passando mal, pois estava branco como uma vela, aquilo começou a me incomodar e minha cabeça a rodar e a pensar:

Será que ele está passando mal? Será que está drogado? Será que alguém vai ajudá-lo? Será que é maluco?

Sei lá, o fato é que por não saber peguei o meu ônibus e da janela fiquei observando o cara pálido no chão, sacudindo a cabeça... fiquei com remorso, mas o medo me paralisou!

O triste é pensar que devido a esse mundo que anda tão estranho, ao avesso, onde você dá uma carona e é assaltado, onde você para o carro para ajudar alguém que está com o pneu furado e colocam uma arma na sua cabeça, que deixamos de exercer a caridade por puro medo, por ficarmos paralisados com a dúvida.

Da mesma forma no dia seguinte, um senhor pedia dinheiro no ônibus, dizendo que tinha duas filhas lindas e que estava desempregado e que precisava de algum dinheiro para comprar uma mercadoria e eu não me mexi, por não saber o que o cara poderia fazer com aquele dinheiro, sem saber se era honesto, se o que dizia era verdade!
Pelo discurso dele eu senti muita pena, mas nada podia me garantir que eu não estaria financiando alguma droga para aquele cara... é complicado sabe!

Me senti mal nas duas situações, mas não vi outra alternativa... tomara que algum dia as coisas possam ser diferentes e que se possa assim estender a mão e ajudar a quem precisa!

9 comentários:

  1. OLá Lilia
    Isso acontece muito, e o pior que depois nossa consciência não nos dá paz. Na primeira situação, eu tentaria pelos menos saber se era verdade, na segunda eu jamais dou dinheiro a alguém na rua, mesmo que a estória seja dramática.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Não sei, não sei... Eu ando com medo de tudo! Qualquer cituação que me pareça fora do comum, onde algum perigo pra mim possa prevalecer, eu me afasto depressa. Uma coisa que nao gosto de fazer, mas que meu coraçao insiste tanto, é comprar qualque coisa que uma crinaça esteja vendendo.


    :(

    Paz, minha linda!!

    ResponderExcluir
  3. Complicado, né?
    Tenho adotado o lema: "fazer o bem sem olhar a quem".
    bjs

    ResponderExcluir
  4. É sempre uma situação para ser avaliada e reavaliada a cada momento.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  5. Un blog muy interesante.Buenas informaciones. Fue un placer visitarte y leerte. Seguiré visitándote y te estoy siguiendo con el permiso tuyo. La paz quede contigo amiga.

    http://socialculturalyhumano.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Ai Lilia... que coisa...
    Como vc sabe eu sou cristã... e tem um versícula na Bíblia em que diz... "Já fui moço, já fui velho, mas nunca vi o filho do Justo mendigar o pão".
    A gente quando se depara com essas situações não sabemos o que aconteceu com aquela pessoa para estar ali! Às vezes no ímpeto de ajudar estamos até atrapalhando e levando a vida dessa pessoa ainda mais para baixo...
    Quando eu vejo isso eu sempre me lembro deste versículo e me conforta em não dar!

    Bisous,
    Dani


    Passe lá no blog Mon amie m'a dit... seus comentários são importantes para nós.

    http://monamiemadit.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu não dou dinheiro na rua, não acredito nessas pessoas, apesar de me sensibilizar.. Sorte! :)

    ResponderExcluir
  8. Difícil essa questão exatamente pelos pontos que você colocou. Parece que olhamos pra essas situacoes já embrutecidos sem nem querer saber a verdade. Penso que podemos ajudar também nao sendo só assim, mas outras maneiras, como ajudando associacoes filantrópicas. O pior é que até pra essas eu me questiono da integridade. Como disse, muito difícil questao. No teu caso, no ônibus, é uma situacao mais comum, diria, mas o rapaz no ponto eu teria questionado mais, com as respostas você ia sacar se era só encenação.

    Quanto ao blog "pesado", eu nao gosto de visitar blogs assim, é importante se preocupar com isso, principalmente porque nem toda conexão é 100% boa. E conforme as respostas, a gente pode mudar alguma coisa pra melhorar.

    Lilia, boa semana pra você lindonona!

    ResponderExcluir
  9. Se o cara pede uma pra cachaça, até dou um trocado se tiver, pela honestidade. Senão, se eu estiver passando perto do mercado, ganha uma caixa de leite ou algo do gênero.

    ResponderExcluir

 
© 2011 | Template por Silvia