21/04/2012

Sempre voltando!

Voltei lá, porque a saudade sempre me bate! Saudade do lugar, saudade do que já vivi lá, saudade de sentir a liberdade dos 20 anos, saudade de amizades que se consolidaram também ali e que se foram! Por isso voltei e sempre volto!







Meu irmão amanhã ou depois
A gente retorna ao velho lugar
Se abraça e fala da vida que foi por aí
E conta os amigos nas pontas dos dedos
Pra ver quantos vivem e quem já morreu
Amanhã ou depois
(Gonzaguinha)
Retornei ao Sana porque esse era o meu projeto nesses dias de férias... voltar ao lugar em que fui tantas vezes, rodeada de amigos, onde já fui com um chevette que não aguentava subir as ladeiras, mas era o carro da galera, que quase nos deixava na pista, mas que sempre chegava para a nossa alegria, saudade de ouvir alguns amigos gritando ladeira, ladeira, ladeira, uma forma na verdade de apoio moral para o chevetão 86, saudade de ver uma amiga contar a história do saci que jogou o bambu na cabeça dela, saudade do pouco que me divertia tanto, saudade de tomar banho de cachu, saudade dos 05 elementos, saudade de me sentir parte daquele lugar, saudade de querer morar ali, saudade  de pegar chuva na barraca e achar que valia super à pena! Saudade do Madeira, saudade das noites passadas à base de conversa fiada ao redor da barraca!! Saudade da porra, essa que eu tenho desse lugar, constantemente!
É engraçado o quanto me encontro ao tomar banho nessas águas novamente, o quanto percebo o amadurecimento da vida! Agora não mais, com a galera, com a expectativa de um fim de semana alternativo, mas com a expectativa de respirar a natureza e pensar no quanto a vida muda! Muda tanto que dessa vez fui com meu velho que não conhecia o lugar, ouvindo também as histórias dele da juventude, curtindo àquela presença que em outras épocas, mal sabia por onde a filha andava... só sabia que tinha ido viajar com os amigos!
Foi bom voltar mais uma vez, depois de tantas e tantas vezes, e ver mais uma vez que o tempo para mim passa mais do que para o Sana. É como se fosse um santuário, de beleza quase intacta, da simplicidade que ainda me atrai, é uma quartinha de lembranças de viagens sempre maravilhosas, umas bem antigas e outras nem tanto assim!
 Nem sei contar quantas vezes eu estive lá, mas cada vez que eu retorno sou sugada, envolvida e encantada por aquela energia.


Sinal de que sempre devo voltar, assim nada vira velho, tudo se renova!

5 comentários:

  1. Amiga, que texto lindo!!! E as fotos? belíssimas... reforça mais ainda a certeza que tenho há tempos (desde que te conheci): conhecer o Sana sem você não vai ter a menor graça! Talvez por isso tenha negados alguns convites que pintaram...Quando iremos? Bjs e boa semana

    ResponderExcluir
  2. Lília, que bom que você passou lá em meu blog. Pelo que percebi temos algo em comum, gostar de curtir a natureza.

    Vi também que você gosta de registrar por onde passa assim como eu. Verdade o que você disse; que pena que as cachoeiras estão sendo lembradas não como belas paisagens, mas como sujeira na política.

    Que nossas cachoeiras seja preservadas da destruição enquanto não devemos desejar o mesmo para o Carlinhos...Não a destruição física, mas a destruição moral.

    Gostei tanto do seu blog que coloquei um link no meu para te seguir.

    Bj no coração

    ResponderExcluir
  3. voltar ao q nos faz bem sempre é bom ... doces recordações com novos sabores ...

    ResponderExcluir
  4. Já conversamos rapidamente sobre esse assunto hoje, ao telefone. Então ... não comentarei esse post, apenas curtirei suas belas palavras, como sempre. Bjs parabenizadores

    ResponderExcluir
  5. O sana tem uma energia encantadora, tenhos amigos que moram lá, e sempre quando posso, vou passar um final de semana e volta renovada!
    As 7 quedas é tudo de bom, e já perdi as contas de quantas vezes pulei da Mãe e do PAI, e escorregeui de verdade no escorrega! Que lugar maravilhoso e uma simplicidade fora do comum!

    Me visita tbm..

    http://calcinhasexy.blogspot.com

    Inté :*

    ResponderExcluir

 
© 2011 | Template por Silvia